05 de julho de 2020
Foto:
24/06/2020 09:18
Servidores serão beneficiados com a suspensão das cobranças de empréstimos consignados
Sessão Ordinária

Servidores serão beneficiados com a suspensão das cobranças de empréstimos consignados

Na ordem do dia foi apreciado o Projeto de Lei nº 6 de autoria dos vereadores Moysés Chama de Carvalho e José Rodrigues de Matos, que “Dispõe sobre modificações na Lei Municipal n.º 1.632, de 05 de junho de 2020 e dá outras providências.” O mesmo trata sobre facultar aos servidores municipais ativos e inativos e aos pensionistas, solicitar em caráter excepcional a suspensão das cobranças de empréstimos consignados, com descontos em folha, junto às instituições financeiras pelo prazo de 90 dias. As parcelas que ficarem neste período de pandemia deverão ser fixadas no final do contrato.

Colocado em discussão Moysés declarou que é vontade dos funcionários municipais que ele entre em vigor, “fizemos as alterações necessárias, vimos o projeto do Estado e atentamos às alterações para nossa realidade”, justificou.

Já o vereador Véião declarou que é um projeto de grande valia para os servidores, “só lamento o primeiro ser vetado pelo prefeito, agora com o nome do colega Zezão como autor, espero que o senhor prefeito não vete, pois os servidores merecem”.

O vereador Zezão disse que esse projeto que estão discutindo “pesquisamos no estado, pois aquele projeto anterior não tinha valia para os servidores, agora entramos com adequações o que servirá para os servidores do Executivo, Legislativo, aposentados do IPAMAT e pensionistas. Esse é o mínimo que podemos fazer para os servidores”, falou.

José Natan declarou seu voto favorável, “quando se lida com servidores públicos não tem situação e nem oposição. Que os vereadores da base do prefeito conversem com o mesmo para que ele não vete esse projeto, pois o senado já aprovou e encaminhou para a Câmara dos Deputados. Parabenizo os colegas pelo projeto de lei que beneficiará os servidores”, disse o parlamentar.

Zezão voltou a falar declarando que foi conversado com o jurídico do Executivo para que o mesmo não seja vetado, mas se vetar, nós iremos sancionar aqui nessa Casa”, finalizou.

O projeto foi aprovado por unanimidade de votos.

 

Texto/Fonte: