30 de junho de 2022
Foto:
09/03/2022 09:12
Maria José Dias dos Santos
Sessão Solene

Maria José Dias dos Santos

Filha de Sabino José Dias e Sebastiana Isaura de Souza, nasceu em 9 de maio de 1955. Casada há 45 anos com José Alves dos Santos, mãe de Jucimar, Jucieire e Juscelma.

Maria José nunca mediu esforços para ajudar tanto na obra de Deus, como o ser humano. Nata com o dom da caridade, sempre disposta estendendo a mão e o ombro amigo, de um coração enorme, sem concluir a 4ª séria primária, ajudava no posto de saúde na Vila São Jerônimo, sendo este construído, mas na época não havia profissional para atender. Ela fez curso de primeiros socorros, assim podia ajudar a população do bairro. Lá ela aferia a pressão arterial, fazia curativos, aplicava injeções, tudo voluntariamente. Mas a caridade não parava por aí, anos atrás não havia na cidade os serviços funerários, ela sempre prestativa em ajudar as famílias que perdiam seus entes queridos, dando banhos nos defuntos, arrumando no caixão e dando toda a assistência necessária à família.

Quando ela ficava sabendo que havia uma pessoa passando por necessidades, ela mobilizava e mobiliza até os dias de hoje a população arrecadando alimentos, fazendo cestas básicas e remédios para doação, além de adquirir juntamente com seu esposo, pois jamais deixaram alguém sem alimentação.

Maria José fez parte da APM das Escolas São Jerônimo e Georgina Rocha, e sempre preocupada com a saúde das crianças, cuidava da higienização dos alunos, por onde ela passava ninguém ficava com unhas grandes, sujas e muito menos com piolhos, cuidava como se estivesse cuidando de seus filhos. Além das crianças, Maria cuidou também dos idosos que residem no Lar, ajudando no banhos dos internos daquela entidade.

Para a Capela da Vila São Jerônimo, Maria José não sossegou enquanto não conseguiu cadeiras e demais mobílias para receber os fiéis, que estavam ali para ouvir a palavra de Deus.

Quando vinham pessoas de outras localidades para trabalhar no município e não tinham onde morar, ela abria as portas de sua casa e acolhia essas pessoas, até que conseguissem um lar.

Finalmente, fez o curso de cuidadora de idosos e doentes e assim aperfeiçoou seu dom, fazendo com que ela apaixonasse cada vez mais pelo que faz, pois tudo é feito com amor, carinho e muita paz e alegria. Não existindo distância para ela ajudar o próximo.

Texto/Fonte: