19 de agosto de 2022
Foto:
09/12/2020 11:14
Por maioria de votos vereadores rejeitam parecer contrário do Tribunal e aprova contas de 2013 do prefeito Robinho Samara
Sessão Ordinária

Por maioria de votos vereadores rejeitam parecer contrário do Tribunal e aprova contas de 2013 do prefeito Robinho Samara

Na noite de 7 de dezembro de 2020, a Câmara Municipal de Aparecida do Taboado apreciou o Projeto de Decreto Legislativo n.º 13/2020, de autoria da Comissão de Finanças e Orçamento/Comissão Permanente de Fiscalização, que “Dispõe sobre a REPROVAÇÃO das contas anual de governo, do Município de Aparecida do Taboado, exercício de 2013, gestão do Prefeito Municipal José Robson Samara Rodrigues de Almeida, que recebeu Parecer Prévio Contrário à aprovação, conforme consta da DELIBERAÇÃO PA00-18/2019 – PROCESSO TC/MS: TC/2904/2014 – PROTOCOLO: 1488654 e dá outras providências”.

Após lido em sua íntegra, o Projeto de Decreto Legislativo e colocado em discussão e votação, os vereadores decidiram em sua maioria por aprovar as contas do Prefeito Robinho Samara, do ano de 2013. Colocado em votação os parlamentares Lolozinho Bernardes, Andrey dos Reis, Gilson de Barros, Marcelo Fagundes, Moysés Chama e Zezão deram seus votos contrários ao parecer prévio do Tribunal de Contas. Já os vereadores José Natan e Walteir de Oliveira – Véião votaram a favor do Parecer do Tribunal de Contas, rejeitando as contas do município na administração 2013.

O presidente suspendeu a sessão para edição do Decreto Legislativo nº 13, (aprovação das contas do Prefeito Robinho Samara, ano 2013) o qual, após confeccionado, foi lido em sua íntegra para conhecimento de todos.

Para o parlamentar Véião “veio como surpresa essa votação, pois até um membro da comissão que deu parecer favorável ao Tribunal de Contas, na votação em plenário mudou o voto, sendo a favor do prefeito Robinho. Dessa maneira o prefeito pode fazer o que quiser na prefeitura, pois a Câmara que é para fiscalizar, vota a favor às contas que não batem, as quais um colegiado inteiro deu parecer contrário. Se assim acontecer, quando o prefeito entrar em seu mandato não precisa preocupar com contas não, pode ultrapassar os 52% com folha de pagamento, podendo fazer o que quiser, pois a maioria da Câmara vai e rejeita o parecer do Tribunal de Contas, então no meu ver, prefeito pode fazer o que quiser na prefeitura, pois vereador não serve para nada”, mencionou o edil

Texto/Fonte: