30 de junho de 2022
Foto:
07/11/2018 09:22
Vereador Pastor Ronaldo quer demissão das pessoas envolvidas no caso apurado pelo GAECO
Sessão Ordinária

Vereador Pastor Ronaldo quer demissão das pessoas envolvidas no caso apurado pelo GAECO

Ao usar a tribuna, o vereador Pastor Ronaldo Néris, declarou que “acompanhamos a visita do GAECO em Aparecida do Taboado, a qual se abriu uma investigação, de princípio, fraude no concurso público, mas tenho em minhas mãos os nomes das pessoas envolvidas não só na fraude. Vou caracterizar o gabinete do Prefeito Robinho virou uma corja completa, que ali se instalou para fraudar licitações, para fraudar concurso para se auto beneficiar os queridinhos e vale ressaltar aqui nesta Casa de Leis, não entrando em detalhes as três empresas que não compete a mim. O secretário de administração Kaiser, está afastado de suas funções e recebendo, ele aparece nas investigações além de se auto favorecer no concurso e também faz as manobrinhas, daquilo que nós sempre ressaltamos, dos editais direcionados aos favorecimentos das empresas. Depois vem o senhor Everton que pela lei da ficha limpa não poderia nem estar ocupando cargo de Procurador de nosso município. Depois Paulo Henrique presidente da Comissão de Licitação. É apontado o servidor Samuel Alcazas, usando-se de diárias para fraudar concursos, para fazer acordinhos. Também o ex secretário de Obras, está no esquema, querendo efetivar, não bastasse o rolo que esse povo aprontou. Pedimos exoneração dos envolvidos e o prefeito deu férias, achando que é o dono da verdade. Além de ignorar os laudos do Dr. Caron, que alertou o prefeito, pois não poderia fazer o concurso por não ter feito o levantamento financeiro. Ele, o prefeito, ignorou e além de tudo isso, assinou com data retroativa, cooperando com fraude, para não dar chance de outra empresa participar. Isso é corja, não é papel de homem público”, falou.

Ronaldo continuou “Como vamos apoiar uma administração de corja, como vamos ser omissos, apoiando carta marcada em uma licitação, como vamos apoiar quando o prefeito Robinho coloca um Procurador Jurídico que não poderia estar lá, pois é condenado em segunda instância por tráfico de drogas contra a saúde pública? Ele não poderia exercer o cargo. Mas o senhor prefeito, senhor Robinho ignorou até essa Casa de Leis. Não respeitou dois mil candidatos, não respeitaram o sistema licitatório. Colocando seus favorecimentos pessoais, as suas corjas, as suas entranhas. Sendo o mais vil com a coisa pública. Dá nojo e dá mais nojo se algum vereador compactuar com isso. Precisamos dar um basta. Pois se assim não fizermos veremos o prefeito sair preso da cadeira dele e olha lá, se não levar alguns daqui junto para o lamaçal. Precisamos prestar muita atenção porque não tem mais condições para essa administração. Essa é a verdade doa a quem doer”, disse.

Na Palavra livre falou ao colega vereador Zezão do PT, dizendo que discorda em anular parcialmente o concurso, pois bem antes já existia a trama da corja instalada no gabinete do senhor Prefeito e lá no escritório do senhor Gerson Claro em Campo Grande, em 2017, que não era deputado, mas nas conversas telefônicas já era chamado de deputado, já montando lá no escritório dele os esquemas, vindo até as vagas para o fulano, beltrano e ciclano. Ignorou o que o Controlador do município disse, o Dr. Caron, ignorou o que a Divina disse, o prefeito não escuta ninguém não, mas se nós estivéssemos na corja instalada no gabinete teríamos os favorecimentos, não precisávamos gritar aqui na tribuna. Desde o início esse concurso é uma farsa, só foi feito para arrancar dinheiro das pessoas, porque essa administração olha os dois mil candidatos como se fosse mercadoria. Trata a nossa população como se fosse gado que está à venda, a grupos e facções que dominam esse estado de direito democrático que é do povo, e isso envergonha. Sabe porque ele, o prefeito não escuta essa Câmara, é porque não tem como fraudar”, comentou.

O vereador comentou ainda sobre a licitação do leite, “onde a irmã do prefeito, tem um contrato com a prefeitura de quinhentos e poucos mil reais. Notinha faturada, chegando denúncia a esse vereador que ela tem convênio com uma outra empresa para desistir, pagando a outra empresa (R$2.500,00), pegando o leite lá em Inocência, pois a prioridade é da família e depois deu o calote na outra empresa. Mas aqui na tribuna eu posso revelar o covil que está montado nesta administração do prefeito Robinho. Veja no Fundo de Assistência Social como está faturado. Mas quero parabenizar o colega Zezão, pois na Educação tem quem controla o leite, lá não tem irregularidade, lá está na média, mas na Assistência Social, onde não tem a nutricionista está uma baderna, só destacando notinha. Essa Casa de Leis não pode mais compactuar com isso”, falou.

“Já foi a corja toda para Campo Grande, correr atrás de seus queridinhos para colocar panos quentes na situação. Estão desesperados, não preocupados com a FESAT não senhor presidente. Quem está preocupada é essa Casa de Leis, são os vereadores que aqui todo dia recebe as reclamações. A preocupação da administração era resguardar os seus próprios interesses. E ainda, o Diretor de Cultura do Município, diretores administrativos, chegou lá e disse que era a pessoa de confiança do prefeito Robinho e eu quero fazer parte da corja. Aí como é seleta a corja deixaram de fora, aí choraram o leitinho. Isso é uma vergonha. Fiquei feliz por saber que a filha do Vereador Gilson da Cohab não estava envolvida nesta corja. Que ele, o prefeito, pegue essa corja dele e vasa”, falou.

“Olha a situação do IPAMAT, senhor presidente, sendo uma maneira triste como está. Vai fraudar isso ou aquilo eles são craques, mas para tapar bueiros, buracos, fazer canaletas isso não. É prá acabar com tanta corja que se instalou no gabinete do prefeito Robinho. Não vamos nos comparar com aquela corja” finalizou.

Texto/Fonte: